História

HISTÓRIA DO MUNICÍPIO

...

No século XIX, época da luta pela posse das terras, apareceu o jovem Vitorino Dias Paes Landim, que tomou conta desta região, expulsando os índios, construindo casas e roças para criação de gado. O senhor Vitorino Dias Paes Landim recebeu do governador três fazendas: Serra Nova, Boqueirãozinho e Serra Talhada.

A fazenda Serra Nova com valorização e extração de borracha da maniçoba, passou a chamar-se fazenda Várzea Grande, em 1º de abril de 1855. Em 1916 a fazenda Várzea Grande passou a povoado com o mesmo nome.

Em 1962 o Povoado Várzea Grande passou a município com o nome de Coronel José Dias. O senhor Batista Dias tomou posse do município no mês de janeiro de 1963, sendo prefeito da cidade, mas governou por pouco tempo, por ser o desmembramento ilegal. O deputado Edson Ferreira, irmão do senhor Gaspar Ferreira, cassou o mandato de Batista Dias por não ter havido plebiscito. 

Em 29 de abril de 1992 o Povoado Várzea Grande foi desmembrado do município de São Raimundo Nonato pela Lei 4.477, esta Lei foi votada pela Assembleia Legislativa e sancionada pelo governador Antônio de Almeida Freitas Neto. Os grandes lutadores pelo desmembramento do povoado foram: Marcelo Castro, Valdemar Macedo, Expedito Rodrigues do Nascimento e o prefeito na época, Dr. Hamilton Baldoíno. 

                                                                                   

                                                                        CORONEL JOSÉ DIAS DE SOUSA

O nome do município foi dado em homenagem ao Coronel José Dias de Souza, (24 de abril de 1878 a 7 de Dezembro de 1962), filho de Mariano Dias de Souza e de Ana Maria da Silveira. Natural de São Raimundo Nonato, onde sempre viveu, prestando relevantes serviços à comunidade, onde foi advogado, promotor público, prefeito municipal, deputado estadual e Tenente-coronel da Guarda Nacional.

Foi casado em primeiras núpcias em 1897 com Maria Martins e em segundas núpcias em 1911 Ana da Silva Dias (mãe Dié), teve 22 filhos.

Coronel José Dias de Sousa fundou a primeira escola pública no povoado Várzea Grande que pertencia ao município de São Raimundo Nonato-PI. 

Em 20 de janeiro de 1910 por decreto do hoje extinto "Ministério da Justiça e Negócios Interiores" (publicado no Diário Oficial da União de 27 de janeiro de 1910) José Dias de Souza é nomeado Estado-maior–Tenente-coronel da Guarda Nacional à frente do 153º Batalhão de Infantaria da Comarca de São Raimundo Nonato, daí o título de Coronel.

Partes das terras pertencentes ao Parque Nacional da Serra da Capivara faziam parte do patrimônio do Coronel José Dias e foram doadas pelos seus descendentes à República Federativa do Brasil, ato que reconhece a importância da gestão desse patrimônio arqueológico. Vários descendentes do Coronel desenvolvem carreira acadêmica ligada a História, Geografia e Arqueologia como a Msc. Claudete Maria Miranda Dias e o Eng. Cid de Castro Dias (neto) e outros ganharam destaque não só no estado, mas nacionalmente, como o Senador Manoel da Silva Dias (filho) e o deputado estadual João Batista de Castro Dias (neto).

Coronel José Dias está localizado na região nordeste, no sudeste do Piauí. Seu clima é quente e seco, sua superfície é de 1.796,3 km2, tem uma população de 4.416 habitantes. 

                                                     

Coronel José Dias localiza-se no sopé do Parque Nacional da Serra da Capivara a 33 km de São Raimundo Nonato e a 548 Km de Teresina. Vislumbra-se grande possibilidade de desenvolvimento turístico, sendo o local visitado por pessoas de todas as partes do Brasil e do mundo. A religião predominante é a católica, o padroeiro do município é São Pedro, cuja festa é comemorada no dia 29 de junho. São Pedro foi escolhido como padroeiro pela população desde o século XIX para amenizar o cangaço daquela época que era muito constante. 

O primeiro Prefeito do município de Coronel José Dias foi Valdir Cesário de Oliveira. Também foram prefeitos do município: Ramiro da Silva, José Alencar Pereira, Isaac Rodrigues Passos e o Atual Manoel Oliveira Galvão (Maninho).

Atualmente Coronel José Dias possui uma prefeitura, um centro de convenções, 21 escolas, 08 igrejas, sendo 06 católicas e 02 protestantes, 03 postos de saúde, 01 delegacia, 01 posto dos correios, telefones fixos e públicos, 02 praças, 03 clubes na sede, 02 farmácias, padarias, lanchonetes, um posto de gasolina e vários outros tipos de comércio. As principais fontes de renda de Coronel José Dias são: criação de caprinos, ovinos e apicultura, produção de cerâmicas de alvenaria é artesanal.

Fonte IBGE, Wikipédia.